Jornalista Marcela Machado escreve livro sobre perfis de cinco mulheres radialistas paraibanas

Em um cenário onde a presença feminina foi restrita, as mulheres radialistas que atuaram no rádio em João Pessoa tiveram papel de protagonismo em todas as épocas. É o que mostra o livro-reportagem-perfil “A voz feminina do rádio: vida e protagonismo de radialistas em João Pessoa”, da jornalista Marcella Machado. A obra apresenta a história de cinco profissionais que trabalharam nos veículos radiofônicos da capital entre a década de 1960 e o início dos anos 2000.

O livro surgiu a partir de uma pesquisa com o intuito de resgatar histórias e memórias de mulheres que atuaram à frente dos microfones das rádios de João Pessoa, desde o surgimento das primeiras emissoras na década de 1930 até 1990. Dentre os nomes identificados no estudo, os das radialistas Zélia Gonzaga, Ana Paula, Irece Botelho, Edilane Araújo e Josy Gomes foram os escolhidos para os perfis. As entrevistas foram realizadas entre dezembro de 2017 e abril de 2018.

Com trajetórias iniciadas no rádio em diferentes contextos históricos, sociais, distintas origens e formações, as radialistas perfiladas, a despeito de suas singularidades, representam na obra as mulheres que conquistaram os ouvintes, o respeito dos colegas de trabalho e do público, enfrentaram discriminações, impuseram seus pontos de vista, alcançaram independência, sustentaram suas famílias, firmaram seus nomes na história do rádio pessoense e delinearam o caminho seguido pelas profissionais que a sucederam.

Ana Paula, uma bela voz do rádio

Em suas 129 páginas o livro mostra como, até os anos de 1970, as mulheres entravam nos quadros das emissoras, por meio dos programas de auditório ou de calouros, seja como cantoras, radiotrizes ou na locução comercial, entre a infância e a adolescência. Geralmente, de origem pobre e sem formação específica na área, chegavam a ocupar a função de locutoras de programas de cabine ou radiojornais, como foi o caso de Zélia Gonzaga, Ana Paula e Irece Botelho, que começaram a trabalhar ainda nos anos de 1960.

Zélia Gonzaga

Ao longo dos sessenta anos pesquisados, poucas mulheres chegaram a ocupar cargos de chefia nas emissoras de rádio. Irece Botelho, locutora das rádios Tabajara, Caturité de Campina Grande, Correio e Arapuan, do início dos anos de 1960 até 1980, teve eventualmente essa oportunidade, ocupando o cargo de locutora-chefe ou ficando responsável pela discoteca de uma das rádios. Das mulheres entrevistadas, Edilane Araújo, locutora que começou no rádio na metade dos anos de 1980, na Arapuan FM, chegaria ao cargo de gerente de programação da Rádio Cabo Branco FM e Jovem Pan, a partir de 1994.

Irece Botelho

Mesmo em um ambiente dominado por homens, as radialistas ocuparam funções nas quais as figuras masculinas eram destaque. No noticiário esportivo e em programa policiais, Irece Botelho considerava-se uma das primeiras no estado. Já Josy Gomes foi uma das primeiras repórteres de pista da Tabajara, na década de 1990 e nos anos 2000, entrevistando os jogadores no campo e auxiliando, inclusive, nas narrações.

O livro também é um passeio pela história do rádio ao mostrar as evoluções tecnológicas e como as mulheres radialistas tiveram que se reinventar ao longo do tempo. Na ocasião das entrevistas, Zélia Gonzaga, Ana Paula e Irece Botelho, as mais antigas, já estavam aposentadas. Edilane Araújo deixou a locução para ocupar um cargo de chefia na empresa e é apresentadora do JPB 2ª Edição, da TV Cabo Branco, e Josy Gomes é diretora e proprietária de um site, o Conexão Boas Notícias. São, assim, histórias de mulheres pioneiras e dinâmicas.

 

Josy Gomes

Baseado no relato das cinco radialistas, a obra também contou com os depoimentos de familiares, colegas de trabalho e amigos das profissionais, além de consultas às obras que tratam da história do rádio na Paraíba. “A voz feminina do rádio: vida e protagonismo de radialistas em João Pessoa” é o resultado do trabalho de conclusão de curso, na Graduação em Jornalismo, da Universidade Federal da Paraíba, da jornalista Marcella Machado, sob a orientação da professora Sandra Moura. O livro está disponível em formato digital.

Link para baixar o livro: https://bit.ly/2QCUoyZ

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *